• medicamento 24.06.2010


    Segundo pesquisa da Associação Nacional de Hospitais Privados, 95% dos hospitais associados já possuem sistemas para rastrear os medicamentos

    Um levantamento recente da Associação Nacional de Hospitais Privados (ANAHP) – entidade que reúne as 40 maiores e mais importantes instituições hospitalares do País – revelou que 97% dos participantes já possuem sistemas de automação na área de suprimentos, e 95% possuem processos que garantem a rastreabilidade de medicamentos. O levantamento contou com 32 hospitais associados.

    Além disso, o estudo mostrou também que 95% dos pesquisados monitoram erros com medicamentos, interação medicamentosa, eventos adversos e outros.

    “O uso destas tecnologias é uma tendência mundial e os hospitais da ANAHP estão alinhados neste sentido. É importante citar também que a introdução deste processo, envolve, muitas vezes, investimentos para adequação da área física, inovação tecnológica, e equipamentos. Porém, o investimento garante a qualidade e segurança para o paciente”, afirma Dr. Henrique Salvador, presidente do Conselho Deliberativo da ANAHP.

    Também neste mês, A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) começou a implantar o Sistema Nacional de Controle de Medicamentos. A primeira ação será a colocação de leitores de autenticidade de medicamentos nas 65 mil farmácias brasileiras. Os aparelhos começaram a ser instalados no dia 15.

    A Casa da Moeda do Brasil será responsável pelo sistema de rastreamento dos medicamentos, desenvolvendo a tecnologia, produzindo os leitores e controlando a distribuição dos aparelhos e das etiquetas autoadesivas. As etiquetas serão feitas com tinta sensível a metal para que possam ser raspadas com moedas. Com o rastreamento, o produto será acompanhado desde a fabricação até a venda ao consumidor.

    Em 2009, a lei 11.903/09 foi aprovada a fim de controlar e rastrear todo medicamento fabricado, dispensado e vendido no país. Ela também instituiu a implantação do Sistema Nacional de Controle de Medicamentos.

    Em novembro de 2009, foi publicada a RDC 59, que efetivamente implanta esse sistema. De acordo com a norma, a adoção do processo deve ocorrer gradualmente em um prazo de três anos. Na prática, o objetivo da lei é diminuir e evitar roubos e falsificações desse tipo de produto.

    Posted by Lucio Sergio @ 10:41

    Tags: ,

  • Leave a Comment

    Please note: Comment moderation is enabled and may delay your comment. There is no need to resubmit your comment.