•  

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

    Oxifrin (solução spray)

    Apresentação:

    Uso Oral
    Uso Adulto

    Solução Spray Nasal 0,5mg/mL

    Embalagem contendo 01 frasco com 10mL.

    Embalagem contendo 01 frasco com 30mL.

    Composição:

    Cada mL da solução nasal contém:

    cloridrato de oximetazolina………… 0,5mg

    Veículo q.s.p………… 1mL

    Excipientes: cloreto de benzalcônio, fosfato de sódio monobásico monoidratado, edetato dissódico, propilenoglicol e água de osmose reversa.

    Para que este medicamento é indicado?

    Oxifrin® está indicado para o alívio da congestão nasal e naso faríngea decorrentes do resfriado comum, sinusite e processos alérgicos das vias aéreas superiores.

    Como este medicamento funciona?

    Ação do medicamento: Oxifrin® atua no alívio da congestão nasal e nasofaríngea decorrentes do resfriado comum, sinusite e processos alérgicos das vias aéreas superiores. Oxifrin® tem efeito rápido, quase imediato.

    Quando não devo usar este medicamento?

    HIPERSENSIBILIDADE A QUALQUER DOS COMPONENTES DE OXIFRIN® CONSTITUI UMA CONTRAINDICAÇÃO PARA SEU USO. NÃO USE ESTE PRODUTO SE VOCÊ TIVER DOENÇA CARDÍACA, HIPERTENSÃO (PRESSÃO ALTA), DOENÇAS DA TIREOIDE, DIABETES OU DIFICULDADES EM URINAR DEVIDO A AUMENTO DO TAMANHO DA GLÂNDULA PRÓSTATA, A MENOS QUE INDICADO PELO MÉDICO.

    O que devo saber antes de usar este medicamento?

    NÃO EXCEDER A POSOLOGIA RECOMENDADA E NÃO USAR POR MAIS DE TRÊS DIAS, POIS PODE CAUSAR CONGESTÃO RECORRENTE. O USO FREQUENTE OU PROLONGADO PODE CAUSAR CONGESTÃO NASAL RECORRENTE OU PIORA. OXIFRIN® NÃO É RECOMENDADO PARA USO EM CRIANÇAS COM MENOS DE SEIS ANOS DE IDADE. O USO DO FRASCO POR MAIS DE UMA PESSOA PODE PROPAGAR UMA INFECÇÃO. PARA EVITAR INGESTÃO ACIDENTAL, GUARDAR LONGE DO ALCANCE DE CRIANÇAS.
    Interações medicamentosas: Recomenda-se precaução no uso de Oxifrin® em pacientes em tratamento com inibidores da monoaminoxidase. Ocorrendo absorção sistêmica significativa de oximetazolina concomitantemente ao uso de antidepressivos tricíclicos, maprotilina ou inibidores da monoaminoxidase (IMAO), potencialização dos efeitos da oximetazolina podem ocorrer. Uso  na gravidez e amamentação: Visto que não há estudossobre o uso de oximetazolina durante a gravidez, não está estabelecido se o uso da oximetazolina pode acarretar riscos durante a gravidez ou lactação. Portanto, o medicamento só deverá ser utilizado se os benefícios potenciais para a mãe justificarem o risco potencial para o feto. Não deve ser utilizado durante a gravidez e a amamentação, exceto sob orientação médica. Informe seu médico ou cirurgião-dentista se ocorrer gravidez ou iniciar amamentação durante o uso deste medicamento. Este medicamento é contraindicado na faixa etária de 0 a 6 anos. Informe ao médico ou cirurgião-dentista o aparecimento de reações indesejáveis. Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento. Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

    Onde, como e por quanto tempo posso guardar este medicamento?

    Cuidados de conservação e uso: DURANTE O CONSUMO ESTE PRODUTO DEVE SER MANTIDO NO CARTUCHO DE CARTOLINA, CONSERVADO EM TEMPERATURA AMBIENTE (15 A 30°C). PROTEGER DA LUZ E UMIDADE. Prazo de validade: 24 meses a partir da data de fabricação (VIDE CARTUCHO). Não use o medicamento com o prazo de validade vencido. Antes de usar observe o aspecto do medicamento. Aspecto Físico: Solução límpida e incolor. TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS CRIANÇAS.

    Como devo usar este medicamento?

    Modo de uso: Deve ser administrado com a cabeça elevada. Durante a administração, inclina-se a cabeça suavemente para trás e inspira-se durante a compressão do frasco. Posologia: Adultos e crianças com idades acima de 6 anos: 2 ou 3 atomizações de Oxifrin® em cada narina, de 12 em 12 horas. Com a cabeça elevada, coloque a ponta do frasco em cada narina sem fechá-la completamente. Durante cada administração, o paciente deve inclinar a cabeça suavemente para trás e inspirar ativamente enquanto comprime o frasco. Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

    Quais os males que este medicamento pode me causar?

    Reações adversas de Oxifrin: INFORME A SEU MÉDICO O APARECIMENTO DE REAÇÕES DESAGRADÁVEIS COMO: QUEIMAÇÃO, ARDÊNCIA, ESPIRROS OU AUMENTO DA SECREÇÃO NASAL.

    O que fazer se alguém usar uma quantidade maior do que a indicada deste medicamento?

    Conduta em caso de superdose: No caso de ingestão acidental, algum método que evite a absorção deve ser considerado. Não existe antídoto específico. A superdosagem com Oxifrin® pode causar sedação em crianças, embora tal ocorrência não tenha sido relatada. Pode causar também depressão profunda do sistema nervoso central. Em caso de superdose com este medicamento procurar auxílio médico. Conduta em caso de superdose: No caso de ingestão acidental, algum método que evite a absorção deve ser considerado. Não existe antídoto específico. A superdosagem com Oxifrin® pode causar sedação em crianças, embora tal ocorrência não tenha sido relatada. Pode causar também depressão profunda do sistema nervoso central. Em caso de superdose com este medicamento procurar auxílio médico.

    Dizeres Legais

    Nº do lote e data de fabricação: VIDE CARTUCHO

    VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA

    Farm. Resp.: Andreia Cavalcante Silva

    CRF-GO nº 2.659

    M. S. Nº 1.0370.0360

    LABORATÓRIO

    TEUTO BRASILEIRO S/A

    CNPJ – 17.159.229/0001-76

    VP 7-D Módulo 11 Qd. 13 – DAIA

    CEP 75132-140 – Anápolis – GO

    Indústria Brasileira

    SAC teuto

    0800621800

    sac@teuto.com.br

    Tags: , , , ,

  • descongestionante-nasal-leva-ao-vicio-e-a-pessoa-pode-ate-perder-o-olfato-imagem-01

    Além de todos os efeitos danosos, abusar das gotinhas diariamente pode causar ainda uma condição chamada rinite medicamentosa: quanto mais se usa o remédio, mais a obstrução nasal piora, uma vez que ele perde o efeito. Todo ano, quando o frio começa, é quase instintivo recorrer aos descongestionantes nasais. Somado ao frio, há a seca, que vem acompanhada de poeira, bactérias, ácaros e outros visitantes indesejados que pioram consideravelmente a vida dos alérgicos. O medicamento, embora traga alívio imediato ao nariz entupido, não é tão benéfico quanto parece. Diderot Parreira, otorrinolaringologista da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial (ABORL-CCF), explica que o uso indiscriminado do remédio pode ocasionar problemas sérios de saúde. “Os componentes dos descongestionantes nasais causam vasoconstrição, ou seja, fecham os vasos do nariz”, explica. O problema é que isso não ocorre só no nariz. Como eles contraem os vasos sanguíneos, têm um efeito sistêmico no corpo e contraem outros vasos também. “Isso pode causar arritmia, taquicardia, aumento da pressão arterial e outros problemas.” Para pessoas que sofrem com pressão alta ou que têm algum tipo de problema cardíaco, portanto, os remédios são um perigo. Segundo Parreira, os descongestionantes nasais estão em terceiro lugar no ranking dos medicamentos com mais efeitos colaterais e uso incorreto, de acordo com dados do Centro de Atendimento Toxicológico de São Paulo. Além de todos os efeitos danosos, abusar das gotinhas diariamente pode causar ainda uma condição chamada rinite medicamentosa: quanto mais se usa o remédio, mais a obstrução nasal piora, uma vez que ele perde o efeito. Ao contrário da rinite alérgica, na medicamentosa não há secreções. “Vira um vício que pode fazer com que o paciente perca o olfato”, alerta o médico. No entanto, o hábito de pingar continuamente o remédio no nariz, além de viciar, mascara um enorme perigo para a saúde do coração. A longo prazo, os efeitos dos descongestionantes elevam o risco de trombose e formação de coágulos. Na mucosa nasal, o uso abusivo provoca uma reação inflamatória, fazendo com que seja preciso quantidades cada vez maiores do remédio para se obter bem-estar. “O alívio da congestão nasal é imediato. Por isso, a pessoa acha que está fazendo um grande negócio. Mas é só um paliativo – diz o otorrinolaringologista Jair de Carvalho e Castro, do Hospital Samaritano do Rio. Segundo o médico, o correto é buscar ajuda para descobrir e tratar a causa do entupimento das narinas, que pode ser sinusite, desvio de septo ou pólipo nasal, entre outras. Lavar as narinas com soro fisiológico ou solução de água com sal e bicarbonato é uma boa alternativa para aliviar a congestão sem remédios, ensina Jair de Carvalho e Castro. Para quem já se viciou nos descongestionantes, o tratamento é feito com medicamentos orais e injetáveis que visam à recuperação da mucosa do nariz.

    Alívio para o nariz, risco para o coração:

    descongestionante-nasal-leva-ao-vicio-e-a-pessoa-pode-ate-perder-o-olfato-imagem-02

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

    Se para a maioria da população o que conta é o alívio rápido, é bom começar a pensar nas consequências do uso desses medicamentos, optando por soluções menos paliativas e tratamentos mais duradouros. Isto porque os descongestionantes têm substâncias que contraem os muitos vasos sanguíneos do nariz, que dificultam a respiração quando estão dilatados em decorrência de alergias e gripes. Quando são usadas sem orientação médica e durante períodos longos, as substâncias vasoconstritoras vão sendo absorvidas pela mucosa nasal e caem na corrente sanguínea, provocando pressão alta e taquicardia. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) já alertou a população sobre os perigos da automedicação de congestionantes nasais com vasoconstritores, e até publicou uma lista daqueles que deveriam ser comercializados com tarja vermelha, ou seja, vendidos apenas mediante a prescrição de um médico.

    Alguns medicamentos que contém substâncias vasoconstritoras:

    Neosoro
    Sinustrate
    Sorine
    Adnax
    Rinoklin

    O uso contínuo do medicamento faz com que a mucosa nasal absorva a substância vasoconstritora (fenilefrina, difenidramina, cloridrato de oximetazolina, nafazolina ou cloridrato de nafazolina), levando-os até a corrente sanguínea, aumentando os riscos de Pressão alta e taquicardia. Nos Estados Unidos, muitos dos descongestionantes favoritos da população não estão mais facilmente disponíveis nas prateleiras, foram para trás do balcão forçando o cliente a fazer o pedido ao farmacêutico, muitas vezes assinando um termo ou mostrando a identidade. Outras marcas estão tendo suas fórmulas modificadas para minimizar riscos como doenças da tireoide, diabetes ou dificuldade de urinar, além de problemas cardíacos citados acima. Essas mudanças fizeram parte de um esforço nacional para evitar o consumo de metanfetamina, droga altamente viciante feita a partir da pseudoefedrina, ingrediente ativo de vários descongestionantes. Alguns laboratórios norte-americanos estão substituindo a pseudoefedrina por fenilefrina, mas como esta não pode ser feita sem a maléfica metanfetamina…Ou seja, como há poucos estudos sobre o assunto até agora, o melhor mesmo a se fazer é procurar orientação médica sempre, até porque a verdadeira causa da obstrução nasal pode ser outra, ainda desconhecida. Além disso, a solução mais rápida nem sempre é a melhor. Quem sabe mudar seus hábitos alimentares, dormir bem e fazer exercícios pelo menos três vezes por semana podem protegê-lo muito mais das alergias e gripes? Fica a dica!

    Tags: , , , , , , , , ,

  • remedio-naridrin-tratamento-da-congestao-nasalNaridrin®

    cloridrato de nafazolina + maleato de mepiramina +dexpantenol

    Apresentações:

    Solução nasal – cloridrato de nafazolina 1,0 mg/ml + maleato de mepiramina 0,2 mg/ml + dexpantenol 5,0 mg/ml,embalagens com frasco de 10, 15 e 30 ml. Uso Nasal e Uso Adulto e Pediátrico Acima de 10 Anos

    Composição:

    Cada ml da solução nasal adulto contém: cloridrato de nafazolina ………………………………………………………………………………………….1,0 mg maleato de mepiramina …………………………………………………………………………………………..0,2 mg dexapantenol ……………………………………………………………………………………………………..5,0 mg Excipientes: cloreto de sódio, cloreto de benzalcônio, edetato dissódico di-hidratado e água purificada.Cada ml da solução nasal pediátrica contém: cloridrato de nafazolina ……………………………………………………………………………………………0,5 mg maleato de mepiramina …………………………………………………………………………………………….0,2 mg
    dexapantenol ………………………………………………………………………………………………………….5,0 mg
    Excipientes: cloreto de sódio, cloreto de benzalcônio, edetato dissódico di-hidratado e água purificada.

    Informações ao Paciente:

    Para que esse medicamento é indicado?

    Naridrin® é indicado como vasoconstritor destinado ao tratamento da congestão nasal de origem alérgica ou inflamatória, nas rinites e rinofaringites. Também indicado para o tratamento auxiliar da congestão nasal provocada por gripes e resfriados.

    Como este medicamento funciona?

    Naridrin® contem três componentes básicos. O dexpantenol provoca notável resistência da mucosa nasal aos processos infecciosos e inflamatórios. O cloridrato de nafazolina é um vasoconstritor, cujo mecanismo de ação é estimular os receptores alfa-adrenérgicos da musculatura lisa vascular, resultando na constrição das arteríolas dilatadas dentro da mucosa causando a redução do fluxo sangüíneo da área. A mepiramina e um anti-histamínico, o qual impede a ação vasodilatadora da histamina e não provoca reações locais ou gerais; é uma das substâncias mais ativas quando de seu uso tópico nas mucosas nasais. Naridrin® possui tempo de ação rápido, cerca de trinta segundos a um minuto após contato com a
    mucosa.

    Quando não devo usar este medicamento?

    Naridrin® é contra-indicado a pacientes portadores de hipertireoidismo ou hipertensão e aos pacientes com hipersensibilidade aos componentes da fórmula. Naridrin® também é contra-indicado após a hipofisectomia transesfenoidal ou após cirurgias oronasais em que ocorra exposição da dura-máter. Este medicamento é contra-indicado para menores de 10 anos.

    O Que devo saber antes de usar este medicamento?

    Não é recomendado o uso prolongado do medicamento,somente sob acompanhamento e prescrição médica. Para evitar a propagação de infecções o mesmo frasco de Naridrin® não deve ser utilizado por mais de uma pessoa. Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

    Interação Medicamento

    O uso concomitante de Naridrin® com inibidores do MAO (exemplo: furazolidona, lenezolida,moclobemida) pode ocorrer risco de crise hipertensiva grave. Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento. Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde. Durante o tratamento, o paciente não deve dirigir veículos ou operar máquinas, pois sua habilidade e atenção podem estar prejudicadas.

    Onde,como e por quanto tempo posso guardar este medicamento?

    Manter à temperatura ambiente (15ºC a 30ºC). Proteger da luz e manter em lugar seco. Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem. Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original. Naridrin® adulto e infantil apresentam-se como líquido incolor, límpido, inodoro, isento de partículas e material estranho. Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo. Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

    Como devo usar este medicamento?

    Naridrin® deve ser administrado via nasal. Pediátrico (crianças a partir de 10 anos) Pingar 1 a 2 gotas em cada narina da criança, que deve estar com a cabeça suavemente inclinada para trás,uma vez ao dia ou conforme prescrição médica.Adultos: Nebulização Nasal Realizar 1 a 2 nebulizações em cada narina, de 12 em 12 horas ou segundo orientação médica. A nebulização deve ser feita com a cabeça suavemente inclinada para trás e o paciente deve inspirar quando comprimir o frasco. Em caso de ingestão acidental, principalmente por crianças, procure imediatamente um centro de intoxicação. Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

    O Que devo fazer quando eu me esquecer de usar este medicamento?

    Tome a dose assim que se lembrar dela. Entretanto,se estiver próximo o horário da dose seguinte, salte a dose esquecida e continue o tratamento conforme prescrito. Não utilize o dobro da dose para compensar uma dose esquecida. Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

    Quais os males que este medicamento pode me causar?

    Naridrin® pode provocar, sonolência, sensação de ressecamento da mucosa nasal, sensação de pontada,de queimadura, espirro, rinorréia (saída de secreção pelo nariz), perda do olfato. Em caso de uso prolongado, pode produzir rinite atrófica. Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.

    O Que fazer se alguém usar uma quantidade maior do que a indicada deste medicamento?

    Em caso de doses excessivas, poderão ocorrer: alteração do pulso, dilatação das pupilas, hipertensão,transpiração, palidez.Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

    DIZERES LEGAIS

    Reg. MS: nº 1.0235.0145
    Farm. Resp.: Dr. Ronoel Caza de Dio
    CRF – SP nº 19.710 EMS S/A
    Rodovia Jornalista Francisco Aguirre Proença, s/n°,Km 08
    Chácara Assay – Hortolândia – SP – CEP 13186-901
    CNPJ: 57.507.378/0003-65
    Indústria Brasileira
    Telefone do SAC: 0800 191914
    Venda sob prescrição médica

    Tags: , , , , , ,

  • rinofluimucil-remedio-fotoRinofluimucil®

    acetilcisteína
    sulfato de tuaminoeptano

    Forma farmacêutica, via de administração e apresentação comercializada:

    Solução nasal. Frasco contendo 12 mL + conta-gotas
    Uso Nasal – Uso Adulto e Pediátrico

    Composição:

    Cada 1 mL de solução nasal contém:
    acetilcisteína …………………………………………………………………………………………………………………..10 mg
    sulfato de tuaminoeptano……………………………………………………………………………………………………5 mg
    excipientes*q.s.p.: ………………………………………………………………………………………………………………1mL
    *(ditiotreitol, edetato dissódico, hidróxido de sódio, fosfato de sódio dibásico, fosfato de sódio
    monobásico, hipromelose, cloreto de benzalcônio, álcool etílico, sorbitol, aroma de menta e água).

    Informações ao Paciente:

    Como este medicamento funciona?

    Rinofluimucil® é um descongestionante nasal que possui em sua fórmula duas substâncias: a acetilcisteína que fluidifica as secreções ou o muco das vias aéreas (nariz) facilitando a sua limpeza e o sulfato de tuaminoeptano que promove o alívio imediato da congestão nasal provocada pela rinite e sinusite.

    Por que este medicamento foi indicado?

    Rinofluimucil® é indicado para o tratamento de rinites e sinusites.

    Quando não devo usar este medicamento?

    Contra-indicações:

    Rinofluimucil® é contra-indicado para pessoas sensíveis a acetilcisteína e/ou sulfato de tuaminoeptano e/ou demais componentes de sua formulação, ou em pacientes portadores de glaucoma e hipertiroidismo.

    Advertências:

    Rinofluimucil® deve ser usado com precaução em pacientes com doença cardiovascular, problemas na tireóide, crianças asmáticas, indivíduos com dificuldade em urinar e idosos que tenham a próstata aumentada. O uso excessivo de medicamentos vasoconstritores pode provocar efeito rebote com congestão e excesso de secreção.

    Uso durante a gravidez e lactação:

    Classe de risco C: Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientaçãomédica ou do cirurgião-dentista.
    Rinofluimucil® apenas deve ser utilizado por mulheres grávidas e lactantes em casos de extrema necessidade e sob cuidadosa supervisão médica.
    Não se sabe se as substâncias de Rinofluimucil® são encontradas no leite materno, por isso não é aconselhado o seu uso durante a amamentação.

    Uso pediátrico:

    Recomenda-se cautela ao administrar Rinofluimucil® em crianças asmáticas. Somente para praticantes de esportes. O uso de Rinofluimucil® pode ocasionar resultados positivos nos testes antidoping.

    Posso dirigir ou operar máquinas enquanto estiver usando Rinofluimucil®?

    Rinofluimucil® não interfere no estado de vigília e atenção do paciente, o que permite a você dirigir e operar máquinas normalmente enquanto estiver fazendo uso do medicamento.Recomenda-se precaução de uso em pacientes em tratamento concomitante como inibidores da
    monoaminoxidase (IMAOS). Este medicamento é contra-indicado na faixa etária abaixo de 6 anos. Informe ao médico ou cirurgião-dentista o aparecimento de reações indesejáveis. Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.
    Não use medicamento sem o conhecimento de seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

    Como devo usar este medicamento?

    Aspecto físico e características organolépticas do medicamento. A solução nasal é um líquido incolor, límpido, com um leve odor de menta com fundo sulfúreo, que é característico da acetilcisteína.

    O que devo dizer a meu médico antes de administrar Rinofluimucil®?

    Durante a consulta, avise seu médico se possui algum problema cardíaco; problema na tireóide (remoção da tireóide ou se toma hormônio para tireóide); asma; próstata aumentada; glaucoma ou hipertensão.

    Dosagem:

    Adultos:

    3 a 4 gotas em cada narina de 3 a 4 vezes ao dia.

    Crianças:

    1 a 3 gotas em cada narina de 3 a 4 vezes ao dia.

    O que fazer no caso de esquecer de administrar uma dose?

    Se você deixou de aplicar uma dose, deverá fazê-lo o quanto antes, e administrar a dose seguinte como de costume, isto é, na hora regular e sem dobrar a dose.

    Como usar:

    1. Abra o frasco (Fig.1).
    2. Aproxime o conta-gotas da solução.
    3. Aspire à solução para o conta-gotas.
    4. Aplique as gotas nas narinas. O conta-gotas não deve ser introduzido no interior da narina, pois poderá contaminar o medicamento.
    5. Não limpe o conta-gotas com água, mas sim com papel absorvente, pois a água acelera a degradação do medicamento.
    6. Rosqueie o frasco com o conta-gotas (Fig.2).
    Não tome a solução, o seu uso é nasal. O medicamento já vem pronto para o uso, não é necessário diluir com água.
    Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.
    Não interrompa o tratamento sem o conhecimento de seu médico.
    Não use o medicamento com o prazo de validade vencido. Antes de usar observe o aspecto do medicamento.

    Quais os efeitos colaterais que este medicamento pode causar?

    Rinofluimucil® raramente apresenta reações adversas. Dentre as relatadas tem-se: excitabilidade,palpitações do coração, aparecimento de acne, irritação da mucosa do nariz, secura da mucosa do nariz, coceira, vermelhidão no local, espirro excessivo, paladar desagradável. As reações adversas desaparecem após a interrupção do tratamento.

    O que fazer se alguém usar uma grande quantidade deste medicamento de uma só vez?

    Em caso de superdose, acidental ou intencional, avise seu médico imediatamente para que ele possa prestar atendimento de urgência. O tratamento deve ser sintomático.

    Onde e como devo guardar este medicamento?

    Manter este medicamento em sua embalagem original. Conservar em temperatura ambiente (entre 15°C e 30°C).
    Recomenda-se manter o frasco aberto o menor tempo possível durante a aplicação.
    Este medicamento, depois de aberto, somente poderá ser consumido em 15 dias.

    Informações técnicas aos profissionais de saúde
    Caracteristicas farmacológicas:

    Mecanismo de ação
    Rinofluimucil® é uma associação terapêutica composta por acetilcisteína e sulfato de tuaminoeptano.

    Acetilcisteína :

    Trata-se de um fármaco mucolítico direto que atua sobre as características reológicas do muco,destruindo as pontes dissulfeto das macromoléculas mucoproteícas presentes na secreção brônquica. Esta ação farmacológica realiza-se graças à presença de um grupo sulfidrílico (-SH) livre na molécula que proporciona a sua atividade biológica. A ação determina a formação de moléculas com um pesomolecular inferior, o que contribui para uma maior fluidez do muco ao reduzir a sua viscosidade. A acetilcisteína é eficaz na redução da consistência e elasticidade do muco, observando-se uma relação dose e tempo/resposta. Os aumentos progressivos das concentrações de acetilcisteína provocam
    uma maior e mais rápida redução de viscosidade. Acetilcisteína é um derivado do aminoácido natural cisteína e age como precursor do agente redutor glutationa, uma molécula endógena com papel crucial no mecanismo de defesa de agentes tóxicos. A acetilcisteína também tem demonstrado ser essencial no controle de várias condições patológicas onde está presente o estresse oxidativo, como bronquite aguda e crônica, rinite e sinusite. A eficácia terapêutica de acetilcisteína, nos processos inflamatórios nasais como a rinite, é interpretada por suas ações farmacológicas: redução da viscosidade do muco e efeitos antiinflamatórios/antioxidante. A redução da viscosidade do muco facilita a remoção e evita a evolução para a infecção (sinusite). O efeito antiiflamatório/antioxidante se dá pela cisteína que é o precursor da glutationa, um dos mais importantes antioxidantes presentes na célula, por inibição da função monócita, neutrófila e quimiotáxica. De acordo com os estudos in vitro, a acetilcisteína possui efeito antiinflamatório em condições alérgicas.

    Sulfato de tuaminoeptano:

    Este agente simpatomimético (agonista alfa-adrenérgico) é utilizado como descongestionante nasal tópico para o tratamento sintomático de todas as formas de rinite.

    Farmacocinética:

    Rinofluimucil® pode ser absorvido sistemicamente através da mucosa nasal e do trato gastrintestinal após administração intranasal, resultando em efeitos adversos sistêmicos, principalmente em doses excessivas.

    Farmacodinâmica:

    Rinofluimucil® contém acetilcisteína, um agente mucolítico que também melhora a atividade mucociliar das mucosas do trato respiratório. Particularmente neste medicamento a acetilcisteína reduz a viscosidade das secreções das mucosas nos processos catarrais e gripais facilitando a sua expulsão. Esta ação é obtida pela despolimerização dos complexos mucoproteícos e ácidos nucléicos, que conferem a viscosidade às secreções purulentas e mucopurulentas. Rinofluimucil® ,também contém sulfato de tuaminoeptano, um agente alfa adrenérgico, onde sua administração tópica nas mucosas nasais proporciona uma ação vasoconstritora prolongada.

    Resultados de eficácia:

    Eficácia na rinite:

    Em um estudo com 71 pacientes com quadro clínico de rinite purulenta ou mucopurulenta e rinite vasomotora e alérgica, Rinofluimucil® (3 a 4 gotas, 4 vezes ao dia durante 10 dias) produziu melhora mais significativa nos casos graves do que em comparação com os casos leves, e, por isso foi considerado um medicamento de escolha para a rinite. Ademais, também foi bem tolerado pelos pacientes (1).

    Eficácia na pediatria:

    Em 39 pacientes com idade média de 5,3 anos foram administradas de 3 a 4 gotas de Rinofluimucil®, 3 vezes ao dia e durante 7 dias. Ao final do tratamento observou-se que houve melhora em 54% dos casos na aparência da secreção e melhora de 83% no local da inflamação.
    Quanto ao prurido, houve uma melhora superior a 90% dos casos. Em nenhum dos pacientes tratados foram observados efeitos adversos. Pôde-se concluir que Rinofluimucil® é eficaz nos casos de rinite purulenta acompanhada de abundante secreção viscosa em crianças (2) .

    Eficácia nos processos inflamatórios:

    Num estudo duplo-cego Rinofluimucil® foi avaliado quanto à eficácia nos processos inflamatórios nasais agudos ou crônicos reagudizados, de etiologia infecciosa e/ou alérgica, com a finalidade de avaliar os efeitos descongestionante, antiinflamatório e mucolítico. Foram avaliados 120 pacientes,com idade entre 2 a 43 anos, com Rinofluimucil®, sendo que no final do estudo (3 gotas em cada fossa nasal, 3 vezes ao dia e durante 4 dias consecutivos) observou-se que 75% dos casos tiveram melhora. Por meio de um estudo aberto, multicêntrico com 70 pacientes com idade entre 9 meses e 55 anos com rinite, otite simples ou complicada e sinusite, sob tratamento com Rinofluimucil® (3 a 4 gotas, 3 a 4 vezes ao dia, durante 5 a 10 dias), observou-se uma melhora significativa em mais de 80% dos casos.

    Indicações:

    Rinofluimucil® é indicado para o tratamento de rinites agudas, subagudas e crônicas, principalmente com secreção mucosa, mucopurulenta e/ou presença de formações mucocrostosas e para o tratamento de sinusites agudas e crônicas.

    Contra-Indcações:

    Este medicamento é contra-indicado para pacientes com histórico de hipersensibilidade conhecida a acetilcisteína, sulfato de tuaminoeptano e/ou demais componentes de sua formulação, glaucoma de ângulo fechado, hipertireoidismo, Este medicamento não deve ser usadodurante o tratamento com inibidores da monoamino oxidase (IMAO) e nas duas semanas seguintes ao término do tratamento.

    Modo de usar:

    Vide orientações descritas anteriormente.

    Conservação do medicamento depois de aberto:

    Manter na embalagem original. Conservar a temperatura ambiente (entre 15°C e 30°C) por no máximo 15 dias.

    Advertências:

    Os agentes simpatomiméticos devem ser usados com precaução em pacientes que podem ser suscetíveis aos seus efeitos, particularmente em pessoas com doença cardiovascular, como doença isquêmica cardíaca, arritmia, taquicardia, arteriosclerose, hipertensão ou aneurisma, angina pectoris,hipertireoidismo, crianças asmáticas, indivíduos com dificuldade em urinar, e pacientes idosos que tenham hipertrofia da próstata. O uso excessivo de vasoconstritores pode provocar o efeito rebote com congestão e rinorréia. Pacientes que fazem uso de inibidores da MAO devem ter precaução para utilizar Rinofluimucil®. O uso de Rinofluimucil® pode ocasionar resultados positivos nos testes antidoping.

    Interações Medicamentosas:

    Não há evidência na literatura clínica de interação medicamentosa significativa de Rinofluimucil® com outras drogas. Pacientes que fazem uso de inibidores da MAO devem suspender o tratamento 14 dias antes de iniciar o tratamento com Rinofluimucil®.

    Reações adeversas ao medicamento:

    As doses mais altas freqüentemente administradas podem causar reações adversas de natureza adrenérgica como aumento da excitabilidade, palpitações cardíacas e tremores. Algumas vezes,foram relatadas erupções de acne, que desapareceram com a interrupção do tratamento, secura do nariz e da garganta. De 1.049 pacientes tratados em estudos com Rinofluimucil® apenas 24 (2,3%) apresentaram reações adversas, entre elas foram relatadas: irritação da mucosa nasal, secura da mucosa nasal,prurido, rubor local, estimulação ao espirro, paladar desagradável. As reações adversas relatadas nos estudos foram reversíveis com a interrupção do tratamento com o medicamento.

    Superdose:

    Não foram relatados casos de superdose até o momento. Recomenda-se tratamento sintomático.

    Armazenagem:

    Manter este medicamento em sua embalagem original. Conservar em temperatura ambiente (entre 15°C e 30ºC).
    Este medicamento, depois de aberto, somente poderá ser consumido em 15 dias.

    VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA

    Nº lote, data de fabricação e validade: vide embalagem externa.
    Registro MS-1.0084.0112
    Farm. Resp. : Dr. Helcio Garcia de Souza – CRF-SP 37.345
    Fabricado por:
    ZAMBON LABORATÓRIOS FARMACÊUTICOS LTDA.
    Rua Descampado, 63 – Vila Vera – CEP: 04296-090 – São Paulo / SP
    CNPJ nº. 61.100.004/0001-36 – Indústria Brasileira
    ® Marca Registrada
    Referências Bibliográficas:
    1. Portmann M, Sterkers JM. Expertise clinique. Rhinofluimucil gottes nasales. Report in Zambon
    File – February 14, 1980.
    2. Duvivier A. Experimentation double-aveugle en pediatrie avec Rhinofluimucil para rapport a un
    placebo. Report in Zambon File – January 1981.
    3. Albernaz PLM, et al. Terapêutica tópica dos processos inflamatórios nasais com um preparado de
    ação mucolítica, antiflogística, vasoconstritora e antisséptica. Separata de “A Folha Médica”.
    1974; 68(3): 253-255.
    4. Macciocchi A. Studio multicentrico su un preparato rinologico ad azione mucolitica. Rivista medica
    della Svizzera Italiana – Novembre 1979, p. 489-492

    Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , ,